SAUDADES DE SANTA CRUZ

HOMENAGEM POÉTICA

Ao compor esta poesia, estava na verdade fazendo uma homenagem aos meus irmãos e irmãs, que viveram momentos especiais na Santa Cruz Saudosa. Cada verso foi feito no embalar da inspiração das boas lembranças vividas pelo poeta quando da passagem muito feliz, juntamente com sua família, na comunidade de Santa Cruz do Inharé, durante cinco anos, do finalzinho de 1966 até dezembro de 1971.

SANTA CRUZ SAUDOSA

Lembro-me de ti, querida

O teu recanto ainda seduz

No teu passado, a guarida

Minha saudosa Santa Cruz

As promessas no Cruzeiro

A busca no caminho da fé

E o bom fiel no seu rezeiro

Subia naquele morro a pé

E na sombra da mangueira

Vendiam-se as ervas e mel

Ao som que vinha da feira

Escutar ao violão o cordel

Boas pescas no Rio Inharé

Brincar na água dar marola

Tomar um sorvete e picolé

Soltar pipa e até jogar bola

Como era bom esse tempo

Aquele namoro escondido

De juras lançadas ao vento

Nosso amor correspondido

Era muito amasso no clube

Ficar com o broto era legal

Depois  fugas para o açude

O amor nas escuras ao luau

Comer pipocas na pracinha

A calçada era a nossa praia

Piscar prá ela que gracinha

Seu requebrar de minissaia

Minha namoradinha Anita

Bailes, festas de carnavais

Quermesses de Santa Rita

Esse tempo não volta mais

Autor: José Maria Cavalcanti (texto e poesia)

Anúncios