Buenos Aires – Conhecendo melhor

DICAS SOBRE OS ENCANTOS PORTENHOS


Casal dançando o Tango

Gosto muito de curtir o Brasil, mas também não posso deixar de ir a outros países vizinhos, pois são lugares encantadores, principalmente a Argentina, que está tão pertinho da gente.

Já tive também o privilégio de conhecer o Chile, sua moderna capital Santiago e seu lindo litoral: Viña del Mar e Valparaiso, uma dobradinha incrível! Essa eu conto depois.

Buenos Aires é para ser desfrutada em todas as estações do ano. Fui no inverno e no verão também, que é tão quente como o verão gaúcho, mas me encantei mesmo com o inverno, como o da região serrana do Rio Grande do Sul ou  das serras catarinenses, embora eu goste mais de calor. Mas o que irá ditar quando você deve ir é a sua disponibilidade de tempo e de dinheiro.

As estações são bem definidas. No frio, do meio de maio até a metade de agosto, a temperatura cai bem mais que nas regiões mais frias do Brasil. É um período da alta estação, muito buscado para quem quer se sentir como se estivesse na Europa, tomar os saborosos vinhos portenhos e apreciar a excelente carne dos seus restaurantes, tais como os de Alto Palermo e Las Cañitas.

Nesse período, não é à toa, que São Carlos de Bariloche, longe de Buenos Aires – 1.650 quilômetros,  no Sul do país, fica tomada por brasileiros (um motorista de taxi de lá comentou comigo: – Os brasileiros aqui são uma praga santa!).

Bariloche

Na capital portenha, o que move a economia também são os brasileiros, com seus sotaques paulista, a maioria, também o carioca, o mineiro e de outras regiões do  Brasil.

Recomendo sempre comprar os pacotes de viagem oferecidos aqui, pois com certeza é a melhor pedida. Tudo sai mais em conta, inclusive porque já está incluído o traslado do Aeroporto de Ezeiza (se pronuncia “êceiça” e é destinado para voos internacionais – Aeroparque para voos domésticos, exemplo de maiores destinos internos Buenos Aires a Bariloche, além de Mendoza e Mar del Plata). Sem contar que de brinde vem como boas-vindas um City Tour (com guia bilíngue) que, além de você ter uma visão geral dos principais pontos turísticos, ainda se estabelece contato com outros brasileiros que também estão a passeio.

O frio não é para assustar ninguém, pois todos os ambientes são aquecidos e se dorme muito bem. Não leve muitas roupas, pois você irá renovar seu guarda-roupa em função dos baixos preços de casacos (camperas), cachecol (bufanda) e luvas (guantes) de couro, além de caxemira, malhas e roupas esportivas, tudo muito em conta.

Os preços das comidas e bebidas são bem atrativos. Você irá comer muito bem e mais barato que no Brasil. Não posso deixar de falar sobre o inesquecível café da manhã free, regado com deliciosas médias lunas.

Com este atrativo para as compras, as ruas ficam repletas de brasileiros comprando de tudo. As ofertas são incríveis e não se pode perder um artigo de qualidade por um preço tão acessível.

Esta disposição para gastar está associada às caminhadas pelas belíssimas tiendas (lojas) da Florida, Lavalle, Santa Fé, Uruguay e Corrientes. Não deixar de ir fazer compras no bairro do El Once.

Com todo esse agito que você irá ter, com certeza abrirá seu apetite, assim não deixe de ir almoçar na Recoleta ou em Puerto Madero. Pelo caminho, você come umas empanadas para enganar o estômago até chegar, sentar em um dos restaurantes e saborear as delícias daquela boa terra.

Caminhe por toda parte, pois a cidade é toda plana, mas, caso necessite, pegue táxi sempre. Eles são os mais baratos que já vi, principalmente se você estiver acompanhado, pois barateia mais ainda o passeio. Este meio de transporte é de fácil identificação. Estão por toda parte nas cores amarelo e preto.

Não se preocupe com a comunicação com o taxista, pois eles nos compreendem muito bem, assim como os lojistas, os garçons (mozo – “moço”  ) e todos que você encontrar, pois todos querem compreendê-lo melhor para aumentar o volume das vendas.

Alugar um carro em Buenos Aires não é recomendado, pois sairá bem mais caro que os baratíssimos táxis. Caso haja necessidade agarrar um ônibus (autobuses ou simplesmente buses) você deve reservar moedas, pois o pagamento é feito com  elas em uma maquininha e de acordo com o trajeto que você irá fazer (confira a tabela afixada bem à vista do passageiro). Em caso de dúvida, deve-se recorrer a algum passageiro próximo à roleta:  – Señor, por favor ¿cuántas monedas devo poner en la máquina? Ou – Señor, por favor ¿cuánto sale el pasaje?

Em cada esquina há uma casa de câmbio, caso tenha acabado seus pesos. Mas procure bem, pois o câmbio varia muito de casa para casa. Prefira trocar no Banco do Brasil. Faça um cálculo preciso de quanto você ainda irá gastar em pesos, pois, por cada operação financeira, você paga uma taxa de câmbio. Nunca faça a transação com os famosos arbolitos (cambistas de rua), que podem passar para você notas falsas e também porque é uma atividade ilegal.

Além dos belíssimos e antigos edifícios, monumentos, cassinos, hipódromo, zoológico, praças colossais, magníficas cúpulas, galerias, Buenos Aires possui alguns lugares encantadores, tais como: o Teatro Colón, o Obelisco, a Casa Rosada, o Cabildo, a Torre dos Ingleses, o Congresso, a Praça Maior, o famoso Clube de Xadrez e também:

Caminitofica no bairro de La Boca, na antiga zona portuária da capital da Argentina. Berço do tango, de Gardel e da outrora vida boêmia.

Caminito é formado por uma rua principal e algumas secundárias, com casas construídas em madeira, cada uma diferente da outra, e pintadas com cores distintas, formando um belíssimo quadro cubista, compondo ao fundo com a paisagem que forma com o Rio de La Plata.

Há sempre uma feira de artesanato e exposição com venda de quadros (vale a pena passear um pouco e comprar máscaras em couro, com a mesma qualidade de Veneza).

Não deixe de ir ao Café La Perla, um dos mais antigos e ao Museu de Cera de Caminito.

San Telmoo bairro, aos domingos, fica tomado por um verdadeiro antiquário a céu aberto. São lojas e mais lojas para vendas de peças antigas que você pode garimpar e pechinchar à vontade.

Ali você tem alguns restaurantes, com tradicionais  casas de tango e um mercado com muitas coisinhas interessantes para fazer comprinhas por ótimos preços.

Recoleta – ótimos restaurantes, uma feira de artesanato de muita qualidade e visitas ao Cemitério de La Recoleta, onde está enterrado o corpo de Evita Perón, depois que regressou ao país.

Puerto Madero – um antigo bairro portuário que foi repaginado, dando as suas antigas docas ares modernos à capital portenha. Seus restaurantes são sofisticados, finos e elegantes.

Conheça a famosa ponte em homenagem ao dia da mulher. Na minha última ida, vi ali um casal, ainda com trajes matrimoniais, tirando as fotos para o álbum de fotografias.

E há também um barco cassino muito lindo (já almocei no restaurante daquele barco enorme, não deixem de ir lá).

O restaurante Cabaña Las Lilas tem um “Ojo de bife” (olho de bife) que é uma maravilha. “Siga la Vaca” também é muito bom!

Calle Florida – é realmente uma passarela para os brasileiros, pois, além da famosa Galeria Pacífico, você tem inúmeras lojas de roupas, cafés e muita badalação.

A Livraria Atheneu – a livraria é imensa, pois antes era um teatro. São vários pisos repletos de livros e um bom café para você ler e saborear suas delícias, além de poder fazer lanches, quase um almoço.

Saiba que o argentino lê muito e são inúmeras suas livrarias, bancas de livros e revistas, sem falar dos sebos, onde você pode achar verdadeiras preciosidades.

O Café Tortoni –   é o café mais antigo em funcionamento. Também é o mais tradicional, pois nele se encontravam os intelectuais para reuniões culturais e também para decidir muitas vezes os destinos da nação argentina. Dentro há show de tango, um museu de cera e muita disputa por uma mesa. Tem fila para entrar e funciona nos três turnos. Está localizado na Avenida de Mayo, 825.

Não deixe de conhecer outros cafés, como o Las Violetas, Los Angelitos,  Richmond, La Paz e muitos outros.

Casas de Tango – os shows de tango pelas ruas são apresentações sem igual, mas não deixe de apreciar toda a plenitude dessa manifestação peculiar da cultura da Argentina nas inúmeras casas de espetáculos, tais como: Piazzolla Tango, El Viejo Almacén, La Ventana e Señor Tango, somente para citar algumas delas. No preço da entrada, normalmente eles querem incluir la cena (o jantar), mas o cliente poderá dispensá-la, barateando assim o bilhete. Mas não deixe de ir, é imperdível mesmo!

Por todas estas razões e muitas outras, que ainda passarei para você, não dá prá perder a oportunidade de estar neste espetacular paraíso de viagem.

Autor: José Maria Cavalcanti

Anúncios