SAUDADE DE TIM MAIA

TIM MAIA – O SÍNDICO

Tim Maia nos embalou com seus sucessos, não somente porque suas letras tocavam forte nossa emoção, mas o timbre de sua voz era único, envolvente, e tinha todo um swing para cantar e comunicar as mais lindas canções de amor.
Ele viveu no Rio de Janeiro, Do Leme ao Pontal, curtindo as belas praias de um matiz lindo, Azul da Cor do Mar. Gostava de viver bem a vida e estava sempre envolto a paixões avassaladoras. No verão amava intensamente, mas curtia muito o frio e dizia: Quando o Inverno Chegar, eu desejo estar junto a ti para curtir Bons Momentos. Mas sua amada um dia o abandonou, e ele disse a ela não vá embora, insistiu com sua musa, fique por toda minha vida. Mas ela, Um Dia de Domingo, desabafou e finalmente se foi. Embora ele não tenha compreendido nada, não encontrando razão para aquilo, exclamou Me Dê Motivo, pois Você sempre foi meu grande amor. Vendo que não tinha mais jeito, apelou para uma amiga. Disse-lhe Leva esta mensagem, Pede a Ela e diga que não me importa nada e Não Quero Dinheiro, Só Quero Amar, pois o amor dela Vale Tudo. Ainda assim não foi atendido e só restou para ele um lamento triste: – Mina, Gostava Tanto de Você!

Esta é uma homenagem que faço ao cantor e compositor Sebastião Rodrigues Maia, Tim Maia, o “síndico”, segundo seu grande amigo Jorge Ben Jor, na música W/Brasil. Tim introduziu o estilo soul na MPB e foi um dos maiores cantores brasileiros, ganhador do prêmio Shell. Suas músicas eram marcadas pela rouquidão da voz, grave e carregada, imortalizando assim muitos sucessos, como este que vocês acabaram de ouvir.

Autor: José Maria Cavalcanti

Anúncios