Feminino ou masculino?

CONFUSÃO – GÊNERO COM SEXO

Algumas palavras suscitam dúvidas quanto ao gênero a que pertecem. Não é o caso do substantivo mesa, por exemplo,  que é feminino, enquanto que piso é masculino. Podemos descrever uma mesa nos mínimos detalhes, assim como um piso com todas suas características e ainda assim não encontraremos evidências do sexo de cada um. Afinal, eles não necessitam manter relações sexuais, mas ficou convencionado a qual gênero deveria pertencer cada uma das palavras que designam o nome das coisas. Acontece que nem sempre as palavras que terminam com a letra “a”  pertencem ao gênero feminino. Existem várias palavras terminadas em “a” que são masculinas, tais como: o problema, receber um tapa, dar dois telefonemas, duzentos gramas de presunto. E por aí podemos seguir o passeio. Tal distinção do gênero nos substantivos não possui uma lógica compreensível. Quem determina o gênero é a tradição fixada pelo uso. A comparação com outra língua, de mesma origem latina, comprova a inconsistência do gênero gramatical: a viagem / el viaje, o sangue / la sangre, a ponte / el puente, o nariz / la nariz, o sal / la sal, o mel / la miel, a árvore / el árbol. Tais palavras, anteriormente citadas no exemplo comparativo, são do Espanhol. Poderíamos citar vários outros exemplos. Com respeito a este tema, algumas dúvidas sempre surgem para os falantes da Língua Portuguesa. Aqui damos algumas dicas:

1a) A palavra personagem é masculino ou feminino? 2a) Qual é o feminino de poeta: a poetisa ou a poeta? Chamamos de sobrecomuns os nomes de um só gênero gramatical que se aplicam, indistintamente, a homens e a mulheres: o cônjuge, o indivíduo, o sósia, a criança, a pessoa, a vítima etc. São chamados de comuns de dois os substantivos que têm uma só forma para os dois sexos. A distinção é feita pela anteposição de “o”, para o masculino, e “a”, para o feminino: o/a artista, o/a doente, o/a mártir, o/a jovem. Na sua origem, personagem era um substantivo sobrecomum do gênero feminino, ou seja, “a personagem” poderia ser usada tanto para a mulher quanto para o homem. Hoje em dia, porém, personagem tornou-se um substantivo comum de dois: a personagem, para mulheres, e o personagem, para homens. O dicionário Houaiss e o Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras consideram personagem substantivo de dois gêneros, ou seja, o/a personagem. Quanto ao feminino de poeta, temos uma bela polêmica. Segundo a tradição e os nossos principais dicionários, o feminino de poeta é poetisa. Recentemente, no meio artístico, tornou-se moda distinguir a poetisa (=pessoa do sexo feminino que escreve poesias) de a poeta (=mulher que elabora poesia com reconhecida qualidade literária). Considero esta prática mais um modismo que ainda não tem o respaldo da maioria dos estudiosos e de nossos principais dicionaristas. Confesso que meu ouvido ainda não se acostumou com isso. Não sabemos se essa moda “vai pegar”. Somente o tempo, que é senhor de tudo,  dirá. Segundo um dos maiores mestres e acadêmicos Evanildo Bechara: 1)    são masculinos: o…clã, champanha, dó, formicida, grama (unidade de massa/peso), milhar, pijama, sósia, telefonema; 2)    são femininos: a…aguardente, alface, análise, bacanal, cal, cólera, dinamite, libido, síndrome, faringe; e 3)    são indiferentemente masculinos ou femininos: o ou a…avestruz, crisma, diabete, gambá, hélice, ordenança, personagem, sabiá, sentinela, soprano, suéter, tapa, trama.

 Ficou alguma dúvida com a aula do professor, faça um COMENTÁRIO!

Clique aqui:  https://bollog.wordpress.com/2011/08/10/feminino-ou-masculino/#comments

Anúncios