Felicidade


BUSCA DA FELICIDADE

Certo dia, um homem muito rico, cansado da vida que levava, distribuiu toda sua fortuna para a esposa, filhos e parentes.

Sentindo-se leve, mas ainda carente de verdadeiros sentimentos, partiu em peregrinação em busca da felicidade, levando pouco com ele.

Andando muito, pegando caronas e contando com a ajuda de muitas pessoas, chegou a uma montanha onde havia um homem religioso que levava a palavra para uma multidão.

Esperou pacientemente pelo término dos ensinamentos daquela pessoa iluminada.

Duas horas depois, foi percebida a presença dele, e aquele homem de Deus deu a atenção que ele necessitava:

– O que o traz aqui, senhor?

– Venho de muito longe e sigo pelo mundo à procura da felicidade.

Após um sorriso gostoso, respondeu:

– Meu filho, a felicidade não pertence ao mundo material. Na verdade, ela é uma energia divina, que o Altíssimo, por misericórdia, de vez em quando deixa cair sobre nós uma centelha, para que tenhamos um antegozo da verdadeira felicidade, que um dia há de vir em sua plenitude.

Aquelas palavras o fizeram refletir por um longo período e finalmente se despediu:

– Muito obrigado, senhor!

Aquela resposta maravilhosa encheu seu coração de amor, mas ele ainda queria algo mais. Então seguiu para outra região mais distante, onde diziam que acharia a resposta que iria pôr um fim naquela busca.

Após 40 dias de peregrinação pelas terras montanhosas orientais, chegou ao local indicado.

Com o auxílio de um guia local, seguiu por três dias a pé, escalando a mais alta montanha da terra. Ao término daquela cansativa jornada, deparou-se com uma pessoa com um aspecto de eremita, que meditava silenciosamente sobre uma rocha. Aquele homem vivia apenas da energia que emanava do prana, que extraía ao respirar. Dele exalava uma leve fragrância e do seu semblante irradiava luz.

Aguardou o término da longa meditação e o sinal para que se desse o início da conversação, conforme recomendara o guia.

Achegou-se ao sábio lentamente, sendo cumprimentado com um sorriso discreto.

Rompendo o silêncio, indagou:

– Senhor, venho percorrendo muitos quilômetros para saciar uma sede em meu espírito. Tenho certeza que aqui encontrarei resposta.

Diante de apenas um gesto de cabeça, continuou:

– Nunca senti o que é ser feliz, pois estive sempre cercado de pessoas que se aproximavam de mim pelo muito que eu tinha. Hoje, apartado daquilo que o dinheiro pode comprar, procuro a felicidade.

Depois de uma pausa, finalmente o homem começou a falar com uma doçura imensa:

– Você deu o primeiro passo no caminho da iluminação. O que você busca é uma energia cósmica, que nos vem depois do esvaziamento de imagens e pensamentos inferiores que povoam a mente humana. Tal energia está fartamente disponível para todos e quer fazer parte de nós, mas aguarda a purificação de cada interior. Depois que ela permeia nosso ser, somos completados, e tudo se ilumina. Essa energia é tão incrível que provoca constantemente sensações de felicidade.

Impressionado com as sábias palavras, despidas das sutilezas e superficialidades a que fora acostumado, ficou reconfortado pelo o esforço que tinha feito para chegar até ali, mas ainda não sabia como iniciar-se naquele caminho.

– Mestre – indagou -, com quanto tempo se alcança a felicidade?

– Filho, aonde você quer chegar, o tempo não conta. A estrada só é longa pra quem põe reparo nas pedras do caminho.

Mais uma vez, captando a profundidade daquelas palavras, o buscador compreendeu que sua ansiedade é que entulhava o fluxo de energia vital e que era hora de se desfazer da última lembrança de sua vida pregressa. Assim, retirou do pulso seu relógio e foi gentilmente ofertar para o guia que havia oferecido gratuitamente seus serviços, mas aquele humilde homem já não estava ali.

Autor José Maria Cavalcanti

 

Você já achou a felicidade ou está à procura. Faça um COMENTÁRIO!

Clique aqui: https://bollog.wordpress.com/2011/08/12/felicidade/#comments

Anúncios