Valsinha com Chico Buarque

VALSINHA

ANALISANDO A LETRA DE CHICO BUARQUE

Valsinha

Chico Buarque

Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a de um jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto, pra seu grande espanto, convidou-a pra rodar

E então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça, foram para a praça e começaram a se abraçar

E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu, e o dia amanheceu em paz

Com Valsinha, Chico descreve uma cena do cotidiano diferente de outros nos quais retrata críticas sociais. É verdade que estamos mais acostumados a esse Chico contestador, o qual empresta a letra e a voz para lutar contra situações impostas. Nesta letra e música, de uma meiguice infinda, ele pinta um lindo quadro, onde retrata o renascer do amor, que estava fadado na rotina, que estava matando aos poucos a vida a dois.

“Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a de um jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto, pra seu grande espanto, convidou-a pra rodar”

Sim, precisamos chegar ao lar de forma renovada, cheios de alegria, sem os dissabores lá de fora, da rua e do trabalho. Olhar carinhosamente para aquela que te espera pacientemente para te acarinhar, no seu retiro de paz. Falar algo gostoso, palavras elogiosas e de reconhecimento. Convidar pra bailar, mesmo que não haja música.

Não é nada fácil ser imaginativo depois de um dia de trabalho, mas faça um esforço para quebrar a mesmice diária, usando a criatividade. A rotina é capaz de provocar desgaste na relação, dificuldade de comunicação e desentendimentos entre o casal. Viver uma rotina não causa emoção e ela tira o entusiasmo. Muitas vezes passa a ser o agente principal do desamor, ocasionando problemas no relacionamento.

“E então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça, foram para a praça e começaram a se abraçar”

Estar bem bonita, mais você, não com roupas serviçais, isto é o que coroa a receptividade de quem espera. Surpreender com uma veste nova, um modelo diferente, algo que desperte sensualidade. Sim, renove seu guarda-roupa com a intenção de sempre causar uma surpresa, um fato inesperado.

Pare de guardar aquele vestido ou lingerie para um momento especial, que talvez nunca chegue.

E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu, e o dia amanheceu em paz

Sem se importar com as faces das pessoas, exiba a indisfarçável felicidade que há entre você e sua amada. Isto será tão lindo que irá envolver e contaminar a todos.

Sim, beije, abrace e declare pelos quatro cantos do bairro o seu amor.

Com esse clima enamorador e essa energia divina, tudo fica em paz, inclusive o mundo.

Autor José Maria Cavalcanti

Se você gostou da análise musical, deixe seu COMENTÁRIO!

Clique aqui:  https://bollog.wordpress.com/2012/02/05/valsinha-com-chico-buarque/#comments

Anúncios