Árabe – Influência Idiomática

INFLUÊNCIA ÁRABE NA LÍNGUA PORTUGUESA

Os Árabes constituíam a classe dominadora e militar. Daí o grande número de termos relativos a instituições jurídicas e sociais, bem como à arte da guerra. Além disso, há muitos termos relativos à cozinha e aos alimentos, às indústrias e ao comércio, à agricultura, às ciências e às técnicas, às artes, aos ofícios (domínios em que brilharam), ao vestuário, animais, plantas e topônimos. Deles também vieram alguns adjetivos, um pronome indefinido (fulano), uma preposição (até) e uma interjeição muito significativa da influência árabe (oxalá), quase todos anteriores ao século XIII. Eles não deixaram um único termo concernente aos sentimentos, se não considerarmos a palavra mesquinho.

Quase todos os arabismos começam por al– (artigo definido invariável em árabe), por vezes com o l assimilado à consoante inicial do substantivo árabe (arrabalde, Arrábida, arrais), havendo, frequentemente, alguns termos sofrido uma posterior simplificação (açorda, açúcar, ataúde, azougue).

Também são arabismos os nomes dos rios e de terras começados por Guad– (ou Od-), que em árabe quer dizer precisamente “rio”, tais como Guadiana (ou Odiana, antigo), Odemira, Odiáxere, Odeceixe, Odeleite, Guadalete, Guadalaxara, Guadalquivir, etc. Vários outros topônimos sofreram alterações fonéticas ao passar pela influência árabe, tais como Lisboa (Olisipone), Tejo (Tagus), Beja (Pax Julia), Sevilha (Hispalis, através de Isbilia), o mesmo sucedendo com nomes comuns de diversas origens: latina (alcácer – castrum), helênica (arrozórÿza), sânscrita (xadrez), persa (laranja). Os antropônimos de origem árabe só tomaram conta no século X, sendo depois destronados em proveito das tradições do calendário cristão.

Exemplos de inúmeras palavras que foram introduzidas na Língua Portuguesa, somente começadas com a letra “a”, dentre outras:

Açafate (cesta), Açafrão (amarelo), Achaque (enfermidade), Acicate (espinho), Açoite, Açorda (sopa de pão), Açougue, Açude, Açúcar, Adarga (escudo), Aduana, Alá (divindide), Alambique, Alazão (cavalo), Albatroz (mergulhador), Alcachofra, Alcaide (chefe), Alcateia, (rebanho), Álcool (coisa sutil), Alcorão (a leitura), Alcova (quarto lateral), Alecrim, Alface, Alfafa, Alfaiate, Alfândega, Alfarrábio, Alfarroba, Alfazema, Alferes (cavaleiro), Alforge , (sacola), Algarismo, Álgebra, Algema (pulseira), Algibeira (bolso), Algodão, Algorítmo, Algoz (carrasco), Alicate (tenaz), Almanaque, Almirante, Almofada, Almofariz, Almôndega, Almoxarifado, Alquimia, Alvará, Arroba, Arroz, Arsenal, Atalaia, Auge, Azar, Azeite, Azeitona, Azimute, Azul, Azulejo.

Fonte: Fernando V. Peixoto da Fonseca.

A influência árabe está presente em várias áreas do conhecimento, tais como Arquitetura, Artes, Matemática. Geometria e na Escrita.

No Brasil, por exemplo, o azulejo é uma constante na arquitetura árabe, que chegou ao Brasil por meio dos portugueses. A prática da esmaltação da argila cozida já existia na antiga Mesopatâmia, e, sobretudo, na Pérsia. A palavra deriva de azzalujo ou al-zallaja, que siginifica unido e liso.

Se você gostou do post, deixe um COMENTÁRIO!

Clique aqui:  https://bollog.wordpress.com/2012/03/01/arabe-influencia-idiomatica/#comments

Anúncios