Arquivo da Categoria: Poesia

TRISTE DESPEDIDA

Não é fácil partir quando se vai para tão longe, principalmente quando a pessoa de quem você se despede é sua querida mãe.  Era o ano de 1979, e eu contava já dezoito… Continuar lendo

CANTINHO DA SAUDADE

UMA POESIA MAGNÍFICA – JOÃO RIBEIRO FILHO Como Esquecer Como esquecer da rosa de cetim, Correndo como sangue em minhas veias? – Tu és a mais formosa das sereias, Uma flor em botão… Continuar lendo

NOITE FELIZ!

CENA DO NATAL Cheguei à cidadela e procurei os amigos que há muito não via, mas me dei conta, enfim, que não estavam em casa, embora fosse noite alta. Tudo parecia tão vazio,… Continuar lendo

OFÍCIO DO POETA

O poeta usa sua poesia para tocar a sensibilidade humana, quando proclama as belezas da criação divina, mas também nos comove com seus versos tristes quando cai nas armadilhas do amor. Por isso… Continuar lendo

MENSAGEM

PARA REFLETIR Este texto não é de Fernando Pessoa. Sua autoria é de Silvana Duboc. Apenas o último verso foi escrito pelo poeta português: “Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala. O mais… Continuar lendo

SAUDADES DE SANTA CRUZ

HOMENAGEM POÉTICA Ao compor esta poesia, estava na verdade fazendo uma homenagem aos meus irmãos e irmãs, que viveram momentos especiais na Santa Cruz Saudosa. Cada verso foi feito no embalar da inspiração… Continuar lendo

SAUDADES NAUFRAGADAS NO CAIS

A poesia Cais Triste foi escrita para matar minhas saudades daquela Ribeira distante, que se transformou em bairro, debruçada na beira de um cais, povoado de solidão e de tristes despedidas. CAIS TRISTE… Continuar lendo

O AMOR

AMOR O mais nobre dos sentimentos, descrito pelos poetas: Luiz Vaz de Camões Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente;… Continuar lendo

Finge a Dor

FINGE A DOR O poeta sua dor não sente. Seu amor não é como fonte de mel. Ao tecer seus versos, da saudade mente. E sua lágrima é falsa tinta que escorre no papel.… Continuar lendo