Viver com gosto e Alegria

ALEGRIA CONTAGIANTE

Ela era uma criatura tão doce e sorridente que todos queriam ser atendidos por ela. Sua presença no ambiente de trabalho ou onde quer que estivesse era sempre permeada de uma energia incrível, contagiando a todos.

Já havia passado dos sessenta, mas parecia ter menos, em função talvez da conservação da pele do seu rosto e do esfuziante brilho do seu olhar, que possuía um verde inesquecível.

Vestia-se sempre com muita elegância e sobriedade, sem chamar excessivamente a atenção das demais pessoas. Seu perfume era discreto, mas marcante. Falava pronunciando corretamente cada palavra, e não tinha um sotaque característico, podendo ser de qualquer região.

Um dia seu patrão não resistiu e perguntou para ela o motivo de tanta felicidade, já que ele a havia empregado e sabia que era viúva, tendo também perdido um filho por um mero acaso do destino.

– Filó, queria descobrir o segredo da sua alegria, pois nem no mês de tantas recordações tristes, como é agosto, você não se abate nunca! Disse o empregador curioso.

– Arnaldo, os dias são carregados de bendições, tudo depende de nossa predisposição e estado mental. Não podemos nos deixar levar por um montão de crendices.

– Mas não deve ser fácil, você desfila este sorriso por todo o dia. Conte-me logo qual o segredo para alguém ser tão feliz. Insistia Arnaldo, já meio brincalhão.

– Por ter nascido no dia 23 de agosto, este mês já é muito especial para mim. Meu casamento foi no dia 13, como homenagem ao dia em que eu conheci o grande amor da minha vida. Meu único filho nasceu no dia 7, assim o mês de agosto é só de alegrias. Vivo os 31 dias a comemorar fatos memoráveis de minha alegre vida.

– Mesmo tendo perdido seus amores, Filó?

– Quando Deus me deu estes tesouros foi para que soubesse apreciar melhor a vida e não para ficar me lamentando todos os dias. Quando penso neles, fico mais feliz ainda por eles terem existido no meu caminho.

– Mas sua motivação é contínua, mesmo nos outros meses. Como você explica isso?

– Cada dia, ao levantar, recordo-me de um momento gostoso partilhado, e a energia mágica daquela felicidade me alimenta por vinte e quatro horas. É sempre assim, nunca deixo minha mente esvaziada, mas sempre a preencho de coisas boas.

– Além dessas grandes perdas, aconteceu algo mais forte em sua vida?

– Quando eu tinha 38 anos, comecei a perceber grande falhas entre as mechas de meus cabelos. Então, como prevenção para evitar uma queda maior dos fios, comecei a tomar um medicamento recomendado no meu salão. Da mesma forma, procederam outras pessoas da minha cidade, que sofriam com o mesmo problema. Em pouco tempo, meu fígado diminuiu de tamanho e praticamente perdeu sua função. Algum tempo depois, seis consumidoras já haviam falecido, e eu tinha apenas 20% de chance de sobreviver. Quando todos os meus familiares pensavam que aquele seria meu fim, graças a Deus, recebi o transplante de um doador e fui salva milagrosamente.

– Puxa, Filó, você nasceu de novo!

– Por isso desfilo com esse sorriso todo o tempo, pois a vida é um milagre por si só. Tenho também muitos reveses, mas não me apego a eles. Prefiro festejar cada minutinho que me é dado de presente.

Depois que a Filó acabou de falar, seu patrão não perguntou mais nada. Ele finalmente compreendeu o porquê de sua melhor funcionária ser tão feliz.

Autor José Maria Cavalcanti

É verdade. Um sorriso ajude a vida a melhorar. Faça seu COMENTÁRIO!

Clique aqui: https://bollog.wordpress.com/2011/08/07/agosto-da-alegria/#comments

Anúncios