Poesia – Gargalheiras

 

 

 

gargalheiras-2

GARGALHEIRAS

Lá da Serra do Chapéu

Via a represa lindo colibri

Com as asas erguidas para o céu

Agradecia alegre a riqueza de Acari

Qual um néctar, tão doce era o vertedouro

Saciava a sede de todos e fazia alegrar o coração

Ao seridoense a magna represa foi sempre um tesouro

Vê-la mitigar tão seca muito faz lembrar, encher de emoção

Com água no olhar, me lembro da garotada a pular e mergulhar

Alegria de menino: “Quão linda era a infância!”

No sonho até posso ver os alegres rodopios no ar

E o lindo pôr do sol a refletir na onda platinada

Era tão gostoso se fartar no paraíso cheio de abundância

Que ainda hoje guardo na lembrança um ecoar de gargalhada

Autor – José Maria Cavalcanti

imagesJ6IYGHTN

Anúncios